A rede de ex-assessores de Flávio Bolsonaro na mira do Ministério Público

A rede de ex-assessores de Flávio Bolsonaro na mira do Ministério Público


Desde julho, o Ministério Público do Rio estava de mãos atadas. Apesar de o senador Flávio Bolsonaro sempre afirmar que não teme as investigações, ele estava amparado por uma decisão do Supremo, provocada por seus advogados, que impedia o prosseguimento da apuração do MP sobre a possível prática da chamada rachadinha em seu gabinete, à época em que era deputado estadual no Rio. Com a decisão revogada, os promotores do Rio de Janeiro lançaram, na quarta-feira, uma operação em busca de provas sobre depósitos de ex-servidores do gabinete em contas de Fabrício Queiroz, ex-braço direito do senador. Os mandados de busca e apreensão foram cumprido em endereços ligados a Queiroz, Flávio e à ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle, que foram empregados no gabinete do então deputado estadual.