BA: falta de comunicação do secretário estadual de Saúde pode custar vidas

Falta de comunicação do secretário estadual de Saúde pode custar vidas, diz Anderson Rocha

Na manhã desta terça-feira, 14, a Procuradoria Geral de Vitória da Conquista entrou com ação na Justiça contra o Governo do Estado, questionando a retenção de aproximadamente R$ 2,3 milhões em recursos para o combate ao coronavírus e por não incluir a cidade nas reuniões deliberativas da Comissão Intergestores Bipartite (CIB). Para Anderson Rocha, presidente estadual do MDB Diversidade, a falta de comunicação do secretário estadual de Saúde pode custar vidas e defendeu que os governos precisam trabalhar juntos.



Somente os municípios de Salvador e Feira de Santana receberam os recursos federais repassados ao Estado.


Em vídeo veiculado por uma TV local, nesta semana, o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, disse que: “Traçamos uma estratégia de montar 500 leitos de UTI da cidade de Salvador, dedicados exclusivamente para o coronavírus e trazer para a capital todos os pacientes graves que precisarem de ventilação mecânica”. A ideia é vista como perigosa.



A preocupação é que os pacientes que necessitam de uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) podem não conseguir chegar a Salvador com vida. De Vitória da Conquista à capital é uma viagem de 509 Km. O Governo do Estado respondeu contradizendo a afirmação do secretário de saúde, Fábio Vilas-Boas, e disse que leitos de UTI serão instalados em várias regiões do estado.