Itambé e Anagé estão entre os municípios com pior gestão fiscal no sudoeste da Bahia

Itambé e Anagé estão entre os municípios com pior gestão fiscal no sudoeste da Bahia

O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) 2019 aponta que praticamente 9 entre 10 cidades baianas têm gestão fiscal em dificuldade ou crítica. Os dados mostram dificuldades de caixa das prefeituras. Revelam também negligência na administração do que entra e do que sai em dinheiro [receita X despesa], aumento da folha com gastos com pessoal, comprometimento de finanças com restos a pagar e pouca ou nenhuma capacidade  de investimento.


Entre os municípios com pior gestão no sudoeste da Bahia, estão Anagé e Itambé. A relação com as 10 piores gestões fiscais vem na sequência com: Coaraci, no Sul; Itaquara, no Vale do Jiquiriçá; Dário Meire, no Médio Rio de Contas; também no Sul; Jeremoabo, no Nordeste baiano; Senhor do Bonfim, no Piemonte Norte do Itapicuru; Coração de Maria e Água Fria, no Portal do Sertão; e Santanópolis, também no Portal do Sertão. Os municípios nesta condição estão faixa de pontos de até 0,4.


Um pouco melhor, mas na condição de “dificuldades”, estão 108 municípios, 25,9% do total. Os piores da faixa são Itaguaçu da Bahia, na região de Irecê; Cabaceiras do Paraguaçu, no Recôncavo; Canarana, na região de Irecê; Nova Itarana, no Vale do Jiquiriçá; Sebastião Laranjeiras, no sudoeste; Monte Santo, na região sisaleira; Itapetinga, no sudoeste; Riacho de Santana, no oeste; Serra do Ramalho, no Sudoeste; e Juazeiro, no Sertão do São Francisco.